Ao analisarmos a questão do esporte no Brasil podemos encontrar uma série de fatores que indicam uma desigualdade na forma como este é influenciado em âmbito nacional. A participação das mulheres, em especial, no futsal/futebol é, muitas vezes, desestimulada. Ao analisarmos a trajetória histórica podemos notar que a inclusão da mulher se deu, em sua maioria, sob preconceitos e proibições.

Culturalmente a masculinização através do futebol acontece como em qualquer outro esporte, a mulher como atleta deve saber que existem limites definidos pela aparência, pelo caráter ou seu jeito de ser. Se a atleta exceder esses limites, mesmo atualmente, ouvirá perguntas ou comentários questionando sua feminilidade, sexualidade, ao invés do seu desempenho, que é o que realmente importa.

Alguns fatores que podem influenciar nesta construção cultural são os paradigmas encontrados através principalmente do estereótipo e do homossexualismo em contrapartida a falta de motivação da mídia e o despreparo do profissional para lidar com questões ligadas ao gênero.

Então para esclarecer uma inquietação eu pergunto: será que está ocorrendo à inserção do gênero feminino no futsal/futebol, pois num país que se intitula “o país do futebol”, onde os homens são tão valorizados neste meio, porque será que a mulher ainda não conseguiu seu espaço? Será que a escola está dando o espaço que este gênero precisa para inserir-se neste meio e assim quebrar os paradigmas construídos culturalmente?