Um gesto vale mais do que mil palavras. Provavelmente você já ouviu esta frase, mas talvez não tenha se dado conta do quanto ela é verdadeira.

A linguagem não verbal pode ser reveladora, pois quando o corpo fala, ele fala mesmo, expõe verdades, reforça ideias, favorece ou dificulta o entendimento; enfim, dá ênfase à comunicação, promove a interação com emissor e receptor da mensagem. Assim, a linguagem muitas vezes se constitui como instrumento de poder ou de autocontrole.

Destaca-se ainda a importância de observar as posturas e expressões corporais as quais são carregadas de significado. Pode-se depreender daí que essas formas de expressão corporal podem ajudar na realização de uma leitura da comunicação. Os gestos ou as posições vistos isoladamente não necessariamente possuem uma significação clara e padronizada. Faz-se necessário avaliar a harmonia dos pequenos gestos e movimentos: dos lábios durante um sorriso; das expressões da região ocular; a direção para onde apontam joelhos; as formas como pés e mãos se posicionam, se estão flexionados ou em movimento, e também a inclinação do tronco.

Os olhos brilhantes e elevados, por exemplo, vão denotar alegria e satisfação, enquanto que olhos opacos e baixos denotam tristeza e insatisfação; até mesmo, a posição das sobrancelhas se abaixadas ou levantadas, demonstram respectivamente, concentração e surpresa, este são apenas uns dos significados das expressões corporais. Ficar com ombros encolhidos, lábios apertados, olhando para outras direções ou mesmo batendo na mesa com os dedos são atitudes que podem denotar falta de interesse. Ao contrário, quando se olha nos olhos do interlocutor e apertar-lhe a mão, demonstra-se, com esses gestos, real interesse.

Então ao se dirigir a alguém, pode-se reforçar a comunicação usando-se a postura e os gestos adequados ao conteúdo da mensagem que se pretende estabelecer, podendo desta forma, constitui um facilitador na compreensão do outro e das mensagens que inconscientemente você vai transmitir.