Daniel Flores

Barriga de cerveja

Quem não gosta de tomar uma cervejinha bem gelada. Pois é, se você é um destes que curte saborear nos finais de semana, com os amigos ou após aquelas partidas de futebol. E ainda costuma apresentar aquele traço físico caracterizado pela projeção horizontal de gordura acima da cintura, não precisa mais culpar a cervejinha como principal vilã.

Estudos conduzidos sobre o assunto concluem que aqueles que pensam que as pessoas são obesas por beberem muito chopp ou cerveja estão enganados. O assunto é bem pesquisado mundo afora, e estudos como o do Dr. Meir Stampfer, da Harvard School of Public Health, um autoridade em álcool e saúde, afirmam que embora a condição seja chamada "barriga de chopp", cerveja e chopp não ocasionam ganho de peso ou cintura mais do que qualquer outra fonte de calorias.

A barriga de chopp está geralmente associada a homens, uma vez que as mulheres tendem a armazenar o excesso de gordura em outras áreas como quadris e nádegas.

A cerveja é fermentada, e consumida em excesso, forma gases e distensão abdominal. Pior que a cerveja, pode ter certeza, são os acompanhamentos. Petiscos, frituras e tira-gostos devem ser consumidos assim como a cerveja: com moderação. Além disso, líquidos com comida causam dilatação do estômago, formando a famosa barriga de chopp.

A falta de tônus na musculatura abdominal contribui para a aparência da barriga de cerveja, sendo que ela geralmente aumenta com a idade, não é menos dizer-se que isso também se deve ao fato dos grandes consumidores de cerveja serem, em geral, pessoas com um estilo de vida menos saudável.

Então para aqueles que adoram culpar a cervejinha do final de semana pela protuberância abdominal que insiste em aparecer depois de alguns anos encostado ao longo dos balcões.

Segue a dica infalível: reeducação alimentar + exercício físico. Pois com barriga de chopp ou sem, não exagere ou descuide do seu corpo.