Helen Bampi

Sobre o amor

O amor, sentimento maravilhoso, este. Emoção que nos faz flutuar, nos dá asas... Faz-nos viver. Porém, é preciso ter cuidado com ele: pode nos fazer felizes, mas também é capaz de machucar-nos. Pode fazer com que tenhamos asas, mas também pode deixar-nos cair. E então, como definir o amor? Como julgá-lo magnífico, se não temos os instrumentos corretos para lidar com ele? Com estas palavras, afirmo que não o conhecemos suficientemente bem para explicar o que se passa quando estamos sentindo-o. Afinal, o que é o amor de verdade?

O amor... É carinho, é ternura, é dedicação. São nos pequenos gestos do dia-a-dia que podemos encontrá-lo. Na doçura de uma palavra de incentivo; na ajuda espontânea; no oferecer sem exigir nada em troca; no perdão que se concede sem restar mágoas. Em um sorriso, um doce olhar. No dizer “Eu te amo” sem risco de dúvidas, sem medo de errar.

É uma pena que este mundo de pontos positivos não seja o único. Existe, da mesma forma, o tipo de amor prejudicial aos seres humanos. Por exemplo, o amor-obsessão – no qual “se ama sem limites”; que é capaz de destruir completamente a vida de duas pessoas, e quando não o faz, acaba por deixar os envolvidos infelizes e amargos, vivendo por conveniência. Inteiramente cegos pelo ciúme e medo de perder a alma amada, muitas vezes acabam cometendo loucuras que resultam em tragédias. Mais tarde, surgem os arrependimentos.

Do mesmo modo, existe o amor por conivência, em que o casal, depois de certo tempo unido, perde aquela paixão intensa da juventude, e passa a viver por costume, com uma afinidade adquirida através de anos de convívio. Aí o que passa a existir entre tais pessoas é o respeito mútuo, apenas. Isto, quando a convivência não se torna cansativa e infeliz, resultando em brigas e separação.

Vamos falar também de um amor igualmente maravilhoso, que por vezes se sobressai diante dos outros: o amor da família. Há algo melhor do que estar junto a ela? Compartilhar sorrisos, trocar experiências e ideias, passear, ser feliz... Estar com quem se gosta em algum lugar bonito, dividindo alegrias, realmente não tem preço.
O amor é o sentimento mais belo de nossas vidas. E é por isso que devemos aprender a usufruí-lo da forma mais sensata possível. Com apenas algumas ações bonitas podemos multiplicá-lo e fazer com que todas as pessoas ao nosso redor se sintam bem também.

“Por isso: ame sem condição

Ame sem ponderar,

Ame com todo o coração,

Porque o melhor da vida é amar!”