Publicidade

Durante muito tempo a sua notável presença não fora questionada e hoje temos a obrigação de questionar. Esta presença que influenciou muito, presença que era tida como amiga,basta pensarmos e discutimos a questões a serem levantadas. Esta presença é a norte americana, os EUA. Vivemos em um país, onde sua formação é multicultural, já começamos a destacar pelo próprio Descobrimento do Brasil, a miscigenação racial, depois outro aspecto a ganhar destaque, as Imigrações italianas e alemãs no final do século XIX.

Imagem: Ilustrativa Durante a Era Vargas, o próprio caudilho gaúcho negociou diretamente com os EUA, em alguns dos projetos que foi feita em parceria, no caso a siderúrgica de Volta Redonda no Rio de Janeiro, a criação da Petrobrás, enfim para que o Brasil se desenvolvesse economicamente. Porem a forte influência e presença americana passou a ser constante, até muitos historiadores, discutem a entrada do Brasil na Segunda Guerra Mundial, e se levanta à seguinte questão. Quem realmente afundou os navios mercantes brasileiros?Será que foi a Alemanha de Adolf Hitler?Ou os EUA de Roosevelt? Se for pensar numa questão lógica, fazendo uma boa analise do conflito mundial, a Alemanha, não tinha motivos nenhum para atacar o Brasil, que até então era um país neutro. Vejamos bem a entrada brasileira mudou o percurso da guerra, com esse ataque os EUA, tiveram mais um aliado, não é estranho isto?

Mas a pior de todas ou bem dizendo, a mais notável presença se deu em 1961, antes de Jânio Quadros renunciar ao seu cargo, dias antes o presidente John Kennedy lhe enviou comissários para discutir com o presidente sobre a possível invasão a Cuba, a baía dos Porcos e também foram feitas algumas perguntas um tanto quanto impertinentes que irritaram o presidente que os mandou se retirar. A resposta brasileira sobre a possível ajuda do Brasil veio com a Conferência de Punta Del Leste, onde lá o governador gaúcho Leonel Brizola, aplaudiu de pé e elogiou “o revolucionário” Che Guevara, desta vez o Brasil estava fora dos planos norte americano.

Porem quando se instaurou a Campanha da Legalidade, pela posse legal de João Goulart, os EUA, apoiaram os generais pilantras. Três anos após eles de novo estariam ali para perturbar, manchando a história de nosso país. Você tem noção de onde surgiram aqueles métodos de torturas, usados durante os Anos de Chumbo, a resposta é clara, foram eles que trouxeram,os grandes financiadores de crimes, sequestros, enfim tudo o que de ruim foi proporcionado durante estes anos. O apagão intelectual e a censura batiam o seu ponto.

Outro fato muito presente na cultura brasileira são os símbolos americanos usados, aqui no próprio país, como o Papai Noel, um símbolo bem conhecido pelas crianças do país,tendo sua imagem em rótulos de refrigerantes,e miniaturas em várias lojas. Basta pensar em pleno dezembro o país esta no verão, um calor imenso e um velinho todo vestido de vermelho bem agasalhado que sobe pela chaminé.Estranho não é? Outra questão que gera bastante polêmica, onde através do uso do poder sobre as grandes mídias ,o Tio Sam acaba saindo por “cima”. Os EUA um país imperialista que está sempre envolvido em Guerras, mas eles sempre usam a mesma resposta, a mesma desculpa, tentamos apaziguar o conflito. MENTIRA!Eles entram no conflito por toda uma questão de interesse, não entram para tentar levar a paz, me diga o que foi a Guerra do Iraque?A Guerra do Vietnã?Não foi a toa que o Petróleo, passou a ser mais valorizado, por quê?O Iraque é um país rico em reserva petrolífera, então pela lógica, um mais um é igual a dois, ou seja, só houve a participação americana para a extração do mineral presente no local.

Graças à boa gestão do Governo Lula, ele conseguiu pagar a divida externa. Para quem não sabe a divida externa começou durante a Era Vargas e ela aumentou durante a gestão de Juscelino Kubitschek ,quando lançou o Plano de Metas,que consistia em fazer o Brasil crescer 50 anos em 5.Também Juscelino foi corajoso levantou a capital do Brasil em um deserto.Para ser ter uma noção das atrocidades proferidas,pelos mocinhos norte americanos ,até pouco tempo atrás basta ter como objeto de análise o livro didático de Geografia norte americano apontava a Amazônia como parte de seu território.

Agora vale apena pensar nas questões levantadas. Afinal os EUA foi o grande amigo do Brasil no século XX? Ou o maior inimigo?