Juliano Baumgarten

Por que gostar da música Boate Azul?

Rotulada como música de “corno”, boate azul é um sucesso nacional, é grande parte da população conhece e canta junto, além do mais de ser um hino dos boêmios e de homens apaixonados.

Se você não ouviu, tem a obrigação de ouvir. A letra conta a história de um boêmio ou de um rapaz apaixonado, que era tinha uma paixão não correspondida e para tentar cura-la, acaba partindo para “a vida noturna” em um bordel, mostrando aonde o sentimento de um homem pode obrigar a leva-lo.

Usamos uma lógica muito parecida em nosso cotidiano ,quando levamos um fora,ou quando fazemos um porre. O que devemos fazer para ambos curar? Encontrar outra pessoa que nos faça bem e quanto ao porre repetir a dose.

Composta na década de 80 a música, ela traz um tom poético, que em um momento da música “Enquanto a noite vai se agonizando no clarão da aurora”. Me diga se esta música não tem classe? Ao se referir a prostituta como sua companhia ele menciona “dama da noite” reparem na sutileza. Mas a parte mais filosófica da música vem quando ela diz “sair de que jeito, se não sei o rumo para onde vou”, filosofia pura.

Agora venha me dizer que esta breve analise, não fez com que você pensasse a respeito da música? O preconceito fica de lado. O que vale é a tradição de uma música que é um ícone nacional e que retrata fielmente o sentimento de um homem que teve uma grande desilusão amorosa.

Clique para ouvir a música:

{mp3}140128_boate_azul {/mp3}

A Legalidade esquecida pelo Brasil

Após o termino da Segunda Guerra Mundial o mundo se dividiu em dois blocos, formados pelo Capitalismo (EUA, França, Inglaterra, etc.) e o bloco Socialista (URSS, Cuba, China). Essa divisão de sistemas recebeu o nome de Guerra Fria, o nome foi dado por não haver nenhum conflito militar. No Brasil o sistema era capitalista e o presidente da República era Jânio Quadros e seu vice era João Goulart gaúcho, ex-ministro da fazendo no Governo Vargas.

Jânio Quadros passou por um momento turbulento em seu governo, o atual presidente não soube agradar nem a “esquerda” e muito menos a “direita”. Através de uma série de medidas tomadas ele acabou desagradando mais a “direita”, que havia lhe apoiado em sua candidatura. Uma das medidas que desagradou muito à direita e principalmente os EUA, principal aliado brasileiro desde a Era Vargas, Foi ter condecorado Che Guevara, líder da Revolução Cubana com Grã Cruz da Ordem do Cruzeiro do Sul, a condecoração máxima do país, dada a um estrangeiro. Além do mais Che Guevara era inimigo número um dos norte-americanos. Outra medida foi enviar o vice Jango à China para reatar relações comerciais, porem o problema é que na China predominava o comunismo, sistema oposto ao do Brasil.

Um dos seus apoiadores incondicionais da sua campanha eleitoral, o Jornalista e Governador do Estado da Guanabara, Carlos Lacerda, começou a fazer constante críticas que de certa forma abalaram o governo. O golpe final que culminaria na renúncia do presidente, foi na noite do dia 24 de agosto, quando Lacerda em seu programa de televisão veio a disparar sérias e graves críticas que fariam Jânio renunciar.

No dia 25 de agosto a noticia da renúncia viria abalar todo o país, principalmente o Rio Grande do Sul. Segundo a Constituição, em caso de renúncia ou morte o vice-presidente assumiria ao cargo. Ao saber da renúncia o então Governador do Rio Grande do Sul, Leonel Brizola entrou em contato com o comandante do III Exército Machado Lopes e perguntou qual posição o militar tomaria diante da renúncia, o comandante respondeu sou do exército e ficarei com ele. Pouco tempo depois os Ministros Militares decretaram que caso João Goulart pisasse em solo nacional seria morto ou preso.

Por ser herdeiro político de Vargas e com medo que assim que voltasse ao Brasil ele implantaria o comunismo no país. Brizola se reuniu com a Brigada Militar e montou um contingente de Guerra, protegendo o Palácio Piratini com a Brigada e com barricadas de areia, em seguida Brizola disparou que lutaria para o que estivesse implícito na Constituição fosse cumprido. Os militares começaram a bolar um jeito de impedir o retorno de Jango e conter a resistência de Brizola.

O Rio Grande do Sul começou a viver em clima de Guerra, a censura se fazia presente em todo país. A única rádio que escapou da censura em Porto Alegre foi a Rádio Guaíba que através de um decreto Brizola recrutou em prol do Estado. Estava instaurada a Campanha da Legalidade, que consistia na posse legal de Jango.Após perceber que o Rio Grande se preparava para uma Guerra eminente e Brizola não “arredaria o pé de jeito nenhum”,a Base Aérea de Canoas foi recrutada pelos militares e um bombardeio a Porto Alegre estava próximo de acontecer ,e uma força tarefa da marinha se aproximava do litoral gaúcho,em Torres.O Rio Grande iria ser dizimado.Mas o General Machado Lopes voltaria atrás e se uniria a Brizola.Enquanto aguardava o desfecho Jango fazia escala em diversos países.

O bombardeio foi impedido, em seu retorno Jango se reuniu com Parlamentares e negociou o futuro do país, Jango acabou aceitando o Parlamentarismo, que consistia na redução de seus poderes como presidente. Brizola e o Rio Grande do Sul não gostaram. Aquele sentimento revolucionário que estava alicerçado ao imaginário Farrapo,chegava ao fim.A Campanha durou doze longos dias que adiaram o Golpe Militar em três anos.Porem a Legalidade foi esquecida no país, a imprensa que apoiou os golpistas em 64 tratou de apagar , deixar de lado,um dos fatos mais importantes,que representaram novamente a Bravura do povo Gaúcho que apoiou o seu líder Brizola até o final do desfecho.

59 anos sem o Pai dos Pobres

Neste sábado 24 de agosto 59 anos que o Brasil perdia o presidente mais popular e querido do país. Até hoje a sua morte é um mistério que os historiadores buscam desvendar. Realmente Getúlio se matou ou foi morto? Getúlio Dornelles Vargas nascido na fronteira, em São Borja. Cresceu em meio às idéias positivistas que eram presentes no Estado em função do governo de Júlio de Castilhos. Formado em Direito ingressou na política se filiando no PRR, Partido Republicano Rio Grandense.

Em 1909 elegeu-se deputado representando sua terra natal. Com uma série de repressões da política do Interventor do Estado Borges de Medeiros se retirou do cargo e entrou na Escola de Cadetes. Pouco tempo depois deu a volta por cima e elegeu-se novamente. Em 1928 após fazer parte do ministério, foi nomeado como Interventor do Estado. No ano seguinte concorreu à presidência da República porem foi derrotado.

Seu nome ficaria conhecido no cenário nacional em 1930 quando faria uma Revolução que entraria na História do Brasil, acabando com a política Café com Leite que consistia na alternância do poder no governo entre Minas Gerais, maior produtora de leite e São Paulo a maior produtora da Café do país.

Logo que assumiu o poder Getúlio tomou várias medidas criou ministérios como o do trabalho, indústria e comércio. Para o beneficio dos cafeicultores que sofriam perdas de vendas desde a crise de 29, comprou os estoques de café. Getúlio ganhou o povo ao criar as leis trabalhistas, como: redução da jornada de trabalho para 8 horas, regulamentação do trabalho infantil e direito a repouso semanal remunerado ,férias e o décimo terceiro salário. Após a criação destas leis recebeu o nome de “Pai dos Pobres”, um presidente populista.

Mas o legado de Getúlio não ficaria apenas nas leis trabalhistas, ele também investiu na educação técnica Serviço Nacional da Indústria (SENAI) e o Serviço Nacional do Comércio (SENAC), começou o processo de industrialização no Brasil. Governou durante 15 anos e seu governou passou por diversas fases: provisório, constitucional, ditatorial.

Getúlio foi deposto do governo em 1945, ficou por um tempo afastado e em 1950 foi eleito pelo povo, de onde permaneceria no cargo até a sua morte em 1954. Getúlio foi o presidente que por mais tempo governou o Brasil além de ter criado as leis trabalhistas e ter começado o tardio processo de industrialização, ao mesmo tempo em que soube criar leis para favorecer os trabalhadores, agiu em beneficio da elite, encontentando ambas as partes. Além disso, ele inspirou vários políticos que deram continuidade ao seu legado, foram eles João Goulart ex-presidente do Brasil e Leonel Brizola ex-governador do Rio Grande do Sul.

Por que Manifestar?

Por que manifestar? Uma pergunta até um pouco complexa de responder, pois pode ter várias conotações.

A primeira coisa é dizer com todas as letras é coisa de vândalo, vagabundos e de quem não tem nada que fazer. ERRADO! Essa é a visão de uma mídia “escrota” que manipula com freqüência, uma população, desculpe o termo, mas a sua grande maioria é “ignorante”. Todos estamos cansados de saber que a principal é a Rede Globo.

Outro quesito importante, sobre as manifestações, elas fazem parte da história, através dela o povo conseguiu mudar alguns aspectos da sociedade. A luta mais clássica que mostrou a importância das manifestações ocorreu durante o regime militar (1964-85) onde o povo mostrou a coragem de lutar por seus direitos. Mas temos outros tantos casos, não irei me prender em vários exemplos, pois não sairei do chão.

Afinal que diabos deu agora?Foi por causa do aumento das passagens de 0,20 centavos? Mas quem não tem vinte centavos? Será que é necessário fazer isso tudo?

A resposta é simples. O povo acordou! Cansou das “roubalheiras” dos políticos. O pior negócio que o Brasil fez foi trazer a Copa para cá, sabemos que não temos saúde decente, infra-estrutura, educação, enfim mais vários itens. Era um sonho cobiçado, mas não para o momento atual. O que mais irrita, nós BRASILEIROS e o fato de vermos a podridão tomar conta de nosso país. A corrupção e o desvio de verba pública para a Copa são comuns. O ponto negativo das manifestações é a presença infiltrada de “marginais” que estragam a luta do povo, e a covardia da parte repressora.

Temos que ter cautela. Corre na internet uma petição pública para o Impeachment da Presidente Dilma. O que eu acho? Temos que agir com a cabeça e não com o sentimento que derrubou o presidente Collor. Por quê? A Dilma não faz um péssimo governo assim, claro na minha humilde opinião. O que devemos estar “espiados” e com um possível GOLPE MILITAR. Como assim tu ta louco?NÃO! Em caso do governo não conseguir controlar os atos de vandalismo causado pelas manifestações (claro que é culpa dos marginais que estão no meio, como disse antes). Quem será chamado para combater e que esta mais preparado? O EXÉRCITO.

Cautela, cuidado, muito cuidado. Tu não respondeste ainda a pergunta que dá titulo a esse texto. Por que Manifestar? Devemos lutar por nossos direitos acima de tudo. Pois se permanecermos calados, alguém com menos capacidade do que você ira ocupar um cargo altíssimo e vai te explorar, isso faz parte da lógica capitalista. Mas a lição que temos a tirar é deixarmos o comodismo e o “jeitinho brasileiro” de lado. Saia nas ruas, bata no peito,proteste,contenha seus atos, não depredando o patrimônio público e por último defendas suas ideias.O Brasil precisa pessoas que defendam a integridade dele.Povo Brasileiro!Estamos entrando para a história.