Publicidade

Juliano Baumgarten

A falta de educação no trânsito farroupilhense

Falar em algo crítico é mencionar o trânsito no Brasil. O povo é mal educado, grosseiro, intolerante, imprudente. Mas no caso cabe a mim delimitar e falar apenas da cidade de Farroupilha.

Nós farroupilhenses vivemos em um péssimo dilema, as dificuldades encontradas para nos deslocarmos ao centro, ou a outros locais. Mas creio que o pior de tudo é o centro da cidade. Cabe a nós lembrarmos que existe uma preparação para tirar a carteira de habilitação, o sonho de tantos jovens. Alias essa preparação se chama auto-escola, que junta à teoria com a prática. Para 95% dos que fazem a carteira, as aulas teóricas são vistas como perca de tempo, por isso acabam “fazendo por fazer” e qual é o resultado? A imprudência e todos aqueles sinônimos que atribui no parágrafo anterior.

Uma das principais lições aprendidas nas aulas é a utilização do famoso “pisca” que serve como um mecanismo que mostra a direção na qual o veiculo que esta na frente de você, ou qual direção será tomada. O uso dos piscas em Farroupilha é absolutamente, descartado. Grande parte dos motoristas desconhece o mesmo. Então quando você estiver cruzando alguma rua, cuide bem, pois não podemos confiar nos outros.

Imagem Ilustrativa Outra bela lição aprendida é a Faixa de pedestres, alias guarde bem este nome. A faixa de pedestre é feita exclusivamente para o pedestre passar sobre ela, na verdade ele tem total preferência. Claro que nem todo pedestre cumpre com o seu papel. Segundo a legislação, não se pode parar sobre ela, mas isso não ocorre. Para expressar o que penso a respeito da faixa de segurança, recorrerei com uma frase de efeito de minha autoria. “A Faixa de pedestres em Farroupilha é como assombrações só acreditam na existência delas, as que as enxergam”. Claro ela é totalmente irônica! Mas acho que ao mesmo tempo, sirva para conscientizar alguém que no seu cotidiano costuma “debochar” o pedestre.

Mas para entendermos a revolta do autor, usarei um exemplo de uma cidade bem próxima Carlos Barbosa tem aproximadamente um terço da população de Farroupilha, uma bela cidade, pacata e totalmente educada no trânsito. Se não acreditar no que estou escrevendo, tire um dia e se dirija até o local. Em Carlos Barbosa quando você estiver passando automaticamente os motoristas irão parar muito menos acelerar e buzinar como acontece aqui. Sei que muitos pensarão em dizer para mim: - Não está feliz, vai para lá. Apenas estou expondo a minha indignação.

Se fosse vereador elaboraria um projeto de lei na qual seria bem criticado por ser algo totalmente inovador e polêmico. Colocaria fiscais. Isso mesmo! Quem não utilizar os piscas e não parar na faixa de pedestre seria multado. Valor, não sei! Mas acho que resolveria, pois, a única maneira do povo entender é sendo punido, principalmente no bolso.

Como de costume gosto de deixar uma pergunta para reflexão. Qual seria a solução para o trânsito farroupilhense? Palestras? Campanhas de conscientização? Multas? Tire a sua própria conclusão. Mas que eu garanto que fiz você pensar. Fiz?