Publicidade

Renata Maffei

Filhos que cuidam de pais idosos

O ser humano está sempre em fase de envelhecimento, desde que nasce até o momento da morte. Normalmente as pessoas têm filhos e cuidam deles até o momento que ele consiga fazer por si e ter certa independência.

O tempo passa, os filhos vão tendo suas vidas e os pais vão envelhecendo, às vezes de uma forma mais saudável e às vezes com complicações orgânicas. Algumas famílias têm o pensamento que o filho deve cuidar de seus pais pelo fato de que seus pais cuidaram dele e ele precisa retribuir ou em alguns casos até pelo sentimento de vergonha, de pensar o que os outros vão pensar ou pode até ser por uma questão financeira. Isso varia muito, mas normalmente é por uma questão de se sentir na obrigação de fazer algo a mais por eles.

Precisamos pensar que isso não é nada saudável; é um gesto muito bonito, de gratidão e de amor pelo próximo, mas destrói com a estrutura familiar, com o filho que cuida de seus pais, quando digo cuidar significa dar banho, colocar na cama, servir as refeições, cuidar da medicação, cuidar da higiene da pessoa dependente, e muitos outros cuidados que são necessários numa situação como essa. O normal é o pai cuidar de um filho, mesmo ele já crescido e não o filho cuidar de um pai ou de uma mãe, isso vai contra a lei da natureza.

Não quer dizer que é preciso abandona-los, mas que se pense em uma forma de não colocar muitas responsabilidades deste tamanho apenas para o filho, talvez pensar em alternativas. Porque o filho também tem que ter sua vida, trabalho, estudos, descanso, diversão e família.

A situação de ter tempo para si é muito importante, mas não é apenas isso, cuidar de pais idosos é muito complicado, é difícil aceitar aquela situação, e a pessoa acompanha diariamente, praticamente vinte e quatro horas por dia o envelhecimento e muitas vezes a evolução das doenças que acontecem com os pais. E tudo isso é muito difícil de elaborar, além disso, o tempo vai passando e você praticamente para a sua vida.

Se a diferença de idade entre pais e filhos é pouca ou é o normal, até pode ser um pouco mais fácil, porque o filho já esta crescido, já viveu parte da vida e conseguiu aproveitar um pouco mais a sua juventude, além de ter dito um tempo bom para poder assimilar que seus pais vão envelhecer, poderão ficar acamados ou não e que por fim morrerão, mas se a diferença de idade de um pai for muito grande em relação a um filho, fica mais complicado ainda, existem pais idosos com filhos adolescentes, nesses casos, para o filho adolescente é extremamente difícil, porque eles estão em momentos diferentes do desenvolvimento humano e é muito mais difícil para um adolescente aceitar que seus pais estão envelhecendo e que ele terá que cuidar dele no momento que ele adoecer e deixar toda a sua vida de lado.

Portanto, acredita-se que é necessária a busca de uma nova alternativa para que o filho consiga viver a sua própria vida, consiga assimilar toda a questão do envelhecimento que para o ser humano é difícil de aceitar e também poder processar a informação de que seus pais poderão ficar doentes e dependentes de alguém, que não precisa ser diretamente ele. O filho deve ser sempre o filho, o filho não deve virar pai ou mãe de seus pais.