Publicidade

O dia dos namorados é uma entre as data que mais se divulga, em especial por motivos econômicos, comerciais. Poderíamos realizar centenas de concursos de textos, ou provocar milhares de formas para lembrar seu namorado, sua namorada; independente de já ter oficializado o relacionamento, ter filhos...

Mas escrever sobre o que nesta data? Que o amor é contagiante nesta época por amantes? Que nos Estados Unidos não é nesta data que se lembra os namorados? Que a data em muitos aspectos é superior ao próprio Natal? Ou o quê?

Prefiro transcrever inicialmente algumas perguntas, do que afirmar o que entendo por certo, ou o que faço. Pensou em dar aquele simples Te Amo? Ou de manuscrever aquele cartão que há anos não faz? Ou nunca escreveu um cartão em vosso relacionamento? Pensou em dar aquele passei de ônibus para um ponto qualquer, para curtir melhor teu, tua amada?

Poderia escrever aqui milhares de interrogações para te provocar e perceber que nas pequenas coisas estão as grandes atitudes escondidas, que muitas vezes nem damos valor, mas vão acumulando na caderneta de nosso par.

Se existisse uma fórmula única de conquistar o par, esta forma já estaria plagiada e disponível em tantos sites, no Facebook, Twitter e tantas outras redes sociais. E teriam muito mais casais unidos e mantendo suas relações.

Tenha a certeza que podes fazer muito para conseguir alcançar ou manter teu relacionamento. Talvez o maior segredo, que nem é tão segredo assim, está nas pequenas coisas.

Talvez depois desses parágrafos posso transcrever o sentido do título. Não podemos deixar de forma alguma a monotonia chegar, sequer perto, da relação. E quebrar a rotina não necessita de grandes fortunas, não precisa ser aquele romântico doentio, mas cada detalhe que é feito, o fazer com amor verdadeiro.

Não se comemorar apenas em datas especiais. Fazer aquele prato especial, aquele passeio, simples que seja, mas intenso. Em cada olhar, em algumas palavras especiais a cada semana que prove que continuas com o verdadeiro amor, paixão, mesmo que estas palavras sejam vistas de diferentes formas por alguns teóricos.

E o mais importante de tudo a felicidade a dois não necessita obrigatoriamente de fortunas, luxo, ostentação, mas da continuidade diária de um sorriso, um cumprimento destacado, preocupação se passou frio hoje, se foi tudo bem no trabalho, na escola/faculdade.

Cozinhar aquele prato especial, que o par se delicia, numa janta ou almoço qualquer, e afirmar que lembrou de algo diferente que se passou há algum tempo, ou data que nem lembra. Comprar aquele produto simples, que algumas moedas pagam! Enfim são pequenas atitudes! E detalhes que marcam!

Sobre o autor Roque JR

Roque JR é graduando em Sociologia e História na UCS, ambos os cursos mais de 50% das disciplinas cursadas. Fotógrafo há quase três décadas. Lançou sua primeira obra literária em 1999. Editor e historiador, já publicou 18 obras literárias. Foi fundador do CASFF, da UFES, do LEO Clube Farroupilha Imigrante, militante em várias áreas em especial no meio estudantil entre 1987-2014. Atualmente dedica-se a Literatura; à Luta antimanicomial, Saúde Mental e Saúde Pública.

Visitar site do autor

Lista de Artigos de Roque JR