Muitos são os meios usados para buscar verbas de campanhas de associações de evangelização, de preservação ao meio ambiente, de cuidados com animais, de cuidados com as pessoas, etc. Enfim, é um chamamento exagerado para a sociedade civil colaborar com quantias, que muitas vezes não são espontâneas, mas já determinadas e de valores considerados. Se você faz parte de uma rede de ajuda, acaba recebendo folhetos de entidades que nem se sabe que existiam até o presente momento.

É certo que o povo brasileiro é comovido pela solidariedade, que procura ajudar de maneira ímpar. Em contrapartida, vem os “necessitados” dessa solidariedade, que se pode fazer “depositando” via boleto bancário ou até mesmo pelo Internet Banking, via cartão de crédito ou débito. Uma sofisticação de formas de fazer a coleta eletrônica.

Vamos puxar o papo mais para nosso lugar. O momento agora é a coleta para a criação de uma nova imagem da Nossa Senhora de Caravaggio, em substituição a existente no trevo da RS 453 e Rodovia dos Romeiros.

Mas refletimos... A atual imagem que existe na rodovia teve o crivo da Diocese de Caxias do Sul e de todo o clero, na epoca da sua inauguração, em 2008. A igreja, na ocasião se calou, se omitiu sobre um possível parecer de não favorável à obra, mesmo a população dizendo que estava “feia”. Agora, vem as manifestações de que não satisfaz os fiéis.

O escultor Gilmar Pocai afirmou no Jornal Pioneiro, do dia 07/03/2014: “O que posso garantir é que o trabalho ficará bem melhor do que atual. Disso eu não tenho dúvidas”. O reitor Gilnei Fronza afirmou: “pedimos, em nossa campanha, que o fiel aposte na nova representação da santa, na melhoria da imagem da nossa fé por Caravaggio”.

A propósito: Se tivessem usado a razão, em tempo remotos, não teria ficado desproporcional como está. Agora vem a campanha: “Doe de coração”...