Publicidade

Administração Municipal e autarquia estadual assinam Ordem de Início de Obras para Estação de Tratamento de Esgoto no bairro Santa Catarina

O diretor Presidente da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), Flávio Ferreira Presser, definiu o ato de assinatura da ordem de início das obras da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do bairro Santa Catarina como uma oportunidade de resgate da relação entre a autarquia e a comunidade farroupilhense. “Este ato serve de reparação dos atrasos e da falta de saneamento no município e marca uma nova relação entre a prefeitura e a Corsan. Entendemos a insatisfação, pois os recursos são de 2010”, destacou. O serviço será executado por um consórcio entre as empresas Bripaza Construções, Sintra e Pontual Engenharia.

A assinatura ocorreu na manhã desta terça-feira, dia 15, no Salão Nobre da Prefeitura e contou com a presença do Secretário de Obras do Estado, Fabiano Pereira, deputados, além de demais dirigentes da autarquia estadual da região e do município, vereadores e secretários municipais. Após a solenidade, uma comitiva vistoriou o local que receberá o empreendimento.

Segundo Pereira, o processo não vai parar mais no município. “Pedimos desculpas por este atraso, mas isso é página virada. Vamos dar continuidades nos investimentos e nas obras em Farroupilha”, disse o secretário de estado.

A obra, estimada em R$ 11,5 milhões destinados por meio do Plano de Aceleração do Crescimento 2 (PAC 2) há quase sete anos, irá beneficiar cerca de 15 mil habitantes e deverá estar concluída em 24 meses após o começo dos trabalhos, previsto para a quinta-feira, dia 17. Com a instalação e funcionamento da ETE, Farroupilha saltará de 0% para 25% de esgoto coletado e tratado. O projeto faz parte de um investimento estimado em aproximadamente R$ 50 milhões para implantação do Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) de Farroupilha par coleta e tratamento dos efluentes no município.

Para o presidente do Legislativo, vereador Fabiano Picolli (PT), a reparação que deve ser feita não se dá apenas com a assinatura do documento, mas sim com a inauguração e funcionamento da obra no tempo correto. “É difícil explicar para a população que não temos um metro cúbico de esgoto tratado e precisamos dar continuidade nas obras e termos 100% de esgoto tratado no município. Por isso, confiamos, estamos juntos e continuaremos de olho na Corsan”, adiantou o vereador.

A estação, depois de pronta, terá capacidade de vazão de 35 litros por segundo em um primeiro momento, chegando a até 140 l/s de eficiência. A obra será composta por guarita, laboratório, subestação e casa de medição, caixa de areia, tanque de aeração, floculador, adensador e compressor, decantador, elevatória de lodo adensado, prédio da centrífuga, elevatória de lodo ativado, tanque de contato, produtos químicos, reservatório, emissário por recalque e reservatório final e drenagem e deságue.

Segundo o prefeito Claiton Gonçalves é preciso rever as ações para preservar a água e a saúde da comunidade. “Farroupilha é centro logístico da Serra Gaúcha e é vista como cidade de influência regional para transporte, turismo e água. É uma cidade produtora de água e a represa do Burati tem reservatório para uma região inteira e distribui de forma dadivosa a água que sobeja. O Burati é uma bacia que tem problemas também decorrentes de nosso crescimento e desenvolvimento. Temos contaminação de metais, de esgoto e precisamos mudar este status e rever nossas perspectivas de vida e de futuro”, salientou o prefeito.

A obra do bairro Santa Catarina se somará a outros investimentos da Corsan já realizados no município. Até o momento, já foram concluídas a as redes coletoras de esgoto em ramais prediais da bacia 4 (parcial) no valor de R$ 1.214.651,00, com extensão de 3117 metros e 815 metros de ramais prediais; a execução do Projeto Técnico do Trabalho Socioambiental pertinente à execução das obras das redes coletoras da bacia 04 no valor de R$ 196.796,48; aquisição de Tubos de PVC para implantação da Rede Coletora de Esgoto na Bacia 4 (parcial) no valor de R$ 69.467,34; aquisição de tubos e peças pré-moldadas de concreto armado para implantação da rede coletora de esgoto na Bacia 4 no valor de R$ 290.806,00.

O projeto do Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) de Farroupilha prevê ainda a futura licitação de mais R$ 13 milhões em 2018 para finalizar as redes coletoras e os ramais prediais das bacias 4, 8 e 9, a execução de quatro estações de bombeamento de esgoto, cobrindo os bairros Santa Catarina, Cruzeiro, Nova Vicenza e Bela Vista e Santa Catarina.

Outros R$ 21,7 milhões deverão ser investidos para a realização das redes coletoras e ramais prediais das bacias 1, 2, 3, 5, 6, 7 e a execução de 7 Estações de Bombeamento de Esgoto que elevará o percentual de cobertura de esgoto para 35% no município. São recursos contratados junto a União em que há contingenciamento e no momento sem perspectivas de liberação. Também há a previsão de investimento de R$ 13 milhões para a contratação de estudos e projetos executivos para o Sistema de Esgoto lote 02, e execução de 108 km de rede coletora, uma ETE e 8 elevatórias para atendimento de 8193 economias da Bacia do Rio Caí.

Foto: Adroir Fotógrafo | Fonte: Assessoria de Imprensa e Comunicação Social da Prefeitura de Farroupilha