Publicidade

Seminário Escola sem Machismo contou com a deputada estadual Manuela D’Ávila

“Machismo e feminismo não são antônimos, e a luta por equidade social e de direitos não é para anular nossas diferenças, porque nenhum de nós é igual ao outro”. Com essa perspectiva, a deputada Manuela D'Ávila, procuradora especial da mulher na Assembleia Legislativa do Estado, trouxe ao IFRS - Campus Farroupilha, na última sexta-feira, dia 22, o Seminário Escola sem Machismo, pela segunda vez no município. O diálogo contou com a presença de mais de cem alunos e servidores do campus, além da presença de público externo.

Manuela destacou que o machismo está inserido na estrutura da nossa sociedade, seja no Estado, na família ou na igreja. Para a deputada, identidade de gênero refere-se aos papéis, escolhas e sonhos pré-fixados cultural e diferentemente para homens e mulheres, desde a primeira infância, e não tem relação com a sexualidade de cada indivíduo: “Este tema deve ser abordado nas escolas desde as séries iniciais, visto que é a principal estratégia de transformação da sociedade”.

No seminário, a professora Daniela de Campos, membro no Núcleo de Estudo e Pesquisa em Gênero e Sexualidade (NEPGS) do IFRS - Campus Farroupilha, explicou que ideologia de gênero é uma falácia e desvirtua a séria discussão da temática.

Ideologia de gênero é um termo que surgiu recentemente e que pretende enquadrar qualquer discussão sobre o tema sob essa premissa, diminuindo ou atribuindo uma carga negativa a toda discussão sobre gênero e orientação sexual. Temas relacionados à identidade de gênero são considerados, por vários organismos internacionais, como ONU, Unesco e OEA, como uma discussão ligada aos direitos humanos. Debater identidade de gênero é, nada mais, do que falar de uma característica humana, como ser social. Desde a perspectiva da educação, inserir esse tema no cotidiano escolar, é reforçar práticas de respeito, equidade de gênero e, por conseguinte, a igualdade entre as pessoas - explica, Daniela.

A professora também ressaltou a importância do cuidado para diferenciar liberdade de expressão, onde há o respeito às diversidades, com a propagação de discursos de ódio, especialmente na internet.

Foto: Divulgação | Fonte: IFRS Farroupilha