Publicidade

Saiba como ajudar esse e outros projetos sociais através da destinação do Imposto de Renda.

A equoterapia é destinada a crianças e adolescentes de 5 a 18 anos de idade. O guia Albino e a terapeuta Cristiane realizam 23 atendimentos de 20 minutos por semana.

A felicidade estampada no rosto de Ágata Cristi, 14 anos, já diz muito sobre os benefícios da equoterapia para os portadores do Transtorno do Espectro Autista (TEA), condição que prejudica a capacidade de se comunicar e interagir. Por três vezes na semana, ela é atendida com o método que utiliza o cavalo como instrumento terapêutico e educacional. As sessões são disponibilizada pela Associação de Pais e Amigos do Autista de Farroupilha (Amafa), na Escola Sonho Azul e veem proporcionando avanços significativos na superação dos prejuízos sensoriais, motores, cognitivos, linguísticos e comportamentais causados pelo autismo.

Estima-se que o Brasil, com seus 200 milhões de habitantes, possua cerca de 2 milhões de autistas, segundo dados do Center of Deseases Control and Prevention (CDC).

Cristiane Pereira Pinto, terapeuta que há um ano trabalha no local, ressalta o quão importante é a equoterapia para que as crianças e adolescentes desenvolvam novas habilidades. “A interação com o cavalo desde o primeiro contato e cuidados preliminares até a montaria desenvolve novas formas de comunicação, socialização, autoconfiança e autoestima. Além disso, melhora o equilíbrio, a postura, desenvolve a coordenação motora, a motricidade fina, estimula a sensibilidade tátil e reforça o tônus muscular. Tudo isso é fundamental para que eles se tornem até mais autônomos.”, destaca.

Apaixonada pelo que faz, a profissional, comemora os resultados alcançados. “Quando cheguei aqui, tinha uma criança que não estava mais conseguindo fazer as aulas, por não conseguir subir no cavalo e se manter nele. Então, nós improvisamos com almofadas, colocamos ela no animal e aos poucos ela foi criando firmeza no corpo e hoje, depois de doze meses, já consegue ir sozinha, sentada, o que consideramos uma evolução rápida. Outros já conseguem segurar as rédeas, se tornaram mais sociáveis e mais calmos. Eu sempre brinco que o contato com o cavalo é um verdadeiro calmante natural instantâneo”, comemora.

Durante toda a sessão, a terapeuta ajuda ainda a estimular a fala, a comunicação, funções de linguagem, processamento sensoriais, orientação espacial e temporal, memória, raciocínio, entre outros. “Como sou acadêmica de Fonoaudiologia, procuro levar para eles tudo que aprendo. Muitas vezes enquanto eles andam de cavalo, a gente treina palavras que eles tem dificuldade, faz repetições, é extremamente importante esse momento”, explica Cristiane.

A Coordenadora de Educação da Escola, Aline da Rosa, explica que para o projeto acontecer anualmente são necessários R$ 30 mil. “Atendendo de seis a oito alunos, o que soma 23 atendimentos mensais e arcar com os custos de pessoal e alimentação do cavalo, precisamos minimamente desse valor. Nós recebemos valores da Prefeitura para os adultos, mas não temos recursos garantidos para educação e a oferta de serviços extras como a equoterapia e a natação”, ressalta.

Por muito tempo, a realização do serviço terapêutico dependeu de ações beneficentes, doações e outras fontes de renda para se manter. Porém, há dois anos, a Amafa passou a contar com os recursos do Fundo Municipal dos Diretos da Criança e Adolescentes, abastecido especialmente por multas referentes a legislação trabalhista e ao descumprimento do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e pela destinação do Imposto de Renda de Pessoas Físicas e Jurídicas.

  Conforme Paulo Ricardo Scariot, Presidente do Conselho Municipal dos Diretos da Criança e Adolescentes, para que o dinheiro volte à população, em forma de prestação de serviços, o Comdica lança anualmente um edital, onde entidades de cunho social, além de Conselhos de Pais e Mestres, associações, academias e outros institutos podem se candidatar a receber os valores e colocar em prática projetos voltados a esse público. No ano passado, além da Equoterapia, outras 15 iniciativas foram beneficiadas após aprovação do Conselho. No total, foram destinados mais de R$ 459 mil para o desenvolvimento delas.

  • Medianeira: Uma escola viva! – Apresentado pelo CPM da EMEF Nossa Senhora Medianeira – Repasse de R$ 23.213,50
  • Atividades de Contraturno Escolar: Teatro, Danças Tradicionais e Coral Infantil – Apresentado pelo CPM da EMEF Zelinda Rodolfo Pessin – Repasse de R$ 30.000,00
  • Construtores da Paz – Apresentado pelo CPM da EMEF Senador Teotônio Vilela – Repasse de R$ 30.000,00
  • Cultura e Arte: Valorizando o todo na singularidade de cada um – Apresentado pelo CPM da EMEF Angelo Venzon Neto – Repasse de R$ 30.000,00
  • Aluno + Esporte = Cidadão – Apresentado pelo CPM do DMD – Repasse de R$ 23.838,40
  • Porque lugar de criança/adolescente é na escola! – Apresentado pelo CPM da EMEF João Grendene – Repasse de R$ 30.000,00
  • Proteger para transformar – Apresentado pelo CPM do Colégio Estadual São Tiago – Repasse de R$30.000,00
  • Construindo Cidadania – Apresentado pelo CPM da EEEF Rui Lorenzi – Repasse de R$30.000,00
  • Construindo Vidas no Bairro Industrial – Apresentado pelo CPM do Centro Ocupacional Senador Teotônio Vilela – Repasse de R$30.000,00
  • Grupo Teatral Infanto Juvenil – Apresentado pelo Rotary Club Farroupilha – Repasse de R$30.000,00
  • Garantindo a Continuidade do serviço de Fisioterapia – Apresentado pela APAE- Repasse de R$30.000,00
  • Mais Escoteiros, melhores Cidadãos – Apresentado pelo Grupo Escoteiro Rouxinol da Serra – Repasse de R$29.994,79
  • Projeto VenVer – Apresentado pelo Unidos do Tae Kwon Do Club – Repasse de R$29.040,00 (vinte e nove mil e quarenta reais);
  • Reformulando um Espaço de Lazer – Apresentado pela Associação Farroupilhense Pró Saúde – Repasse de R$23.196,52 (vinte e três mil, cento e noventa e seis reais e cinquenta de dois centavos);
  • Participando do Programa Florescer – Apresentado pelo Instituto Elisabetha Randon – Repasse de R$30.000,00 (trinta mil reais) mais R$60.000,00 (sessenta mil reais) com arrecadação própria pré destinada via FMCA;
  • Equoterapia – Uma nova linguagem ao alcance de todas as crianças e adolescentes com transtorno do espectro autista (TEA) e outras deficiências. – Apresentado pela AMAFA – Repasse de R$30.000,00

 

VOCÊ PODE AJUDAR

Porém, essa realidade poderia ser muito melhor. Estima-se que se as pessoas destinassem parte do seu Imposto de Renda (IR) para Fundos como esse, cerca de R$ 1,5 milhão a mais poderia ser aplicado em políticas públicas voltadas aos direitos das crianças, adolescentes e idosos, além de outras ações de cunho social, em Farroupilha.

Para mudar esse cenário, a Prefeitura de Farroupilha, por meio do Gabinete da Primeira Dama e apoio das Secretarias Municipais de Desenvolvimento Social e Habitação e de Gestão e Desenvolvimento Humano, lançou nesta semana a campanha Destino Certo. O objetivo é sensibilizar moradores, especialmente profissionais liberais, autônomos, empresários e servidores públicos a deixarem parte de seus tributos no município, favorecendo assim atividades como a Equoterapia e outros projetos sociais.

Para saber como auxiliar é só acessar o link: http://farroupilha.rs.gov.br/novo/o-seu-imposto-de-renda-tem-destino-certo-em-farroupilha/

Fotos: Divulgação | Fonte: Assessoria de Imprensa e Comunicação Social da Prefeitura de Farroupilha