Publicidade

A Câmara de Vereadores realizou durante toda a quinta-feira o Fórum Municipal da Água, onde contou entre as ações desenvolvidas com um público de cerca de  300 pessoas. Dividido em três etapas, o evento englobou temas para estudantes do ensino médio, fundamental e o debate sobre o saneamento básico do município para o público em geral.

O Fórum foi realizado como forma de celebrar do Dia Mundial da Água ao mesmo tempo em que oportunizou debates referentes ao seu consumo diário por parte da população.

Confira como foi cada ação:

Profissão Água: Pela parte da manhã o Legislativo apresentou a estudantes do Ensino Médio do Colégio Estadual Farroupilha a experiência de profissionais que atuam no município tendo a água como sua principal matéria prima.

Através da explanação do engenheiro ambiental Filipe Damin e do engenheiro químico Leandro Hessel de Souza, os estudantes puderam entender a necessidade do tratamento da água não apenas para consumo humano, mas também por parte das empresas em devolvê-la ao meio ambiente com qualidade.

Os alunos tiveram a oportunidade também de aprender sobre a agricultura hidropônica com o produtor rural Leandro Tamanini que explanou sobre as vantagens em plantar na água produtos para consumo. Segundo Tamanini, a hidroponia oferece mais em menor espaço, e há um controle maior da produção para manter a sua qualidade.

 

WALL-E: Pela tarde crianças dos colégios Nossa Senhora de Lourdes e Ilza Molina Martins participaram de uma sessão de cinema na Câmara com distribuição de pipoca. Os alunos assistiram o filme da Disney Wall-E que busca resgatar a consciência ambiental da população.

 

Saneamento Básico: A noite, o Legislativo Municipal abriu espaço para a apresentação dos trabalhos realizados no município por parte das Secretarias Municipais de Planejamento e Desenvolvimento Rural; e da CORSAN. O Prefeito Claiton Gonçalves também esteve no evento retratando sua experiência no Fórum Mundial da Água que ocorreu em Brasília nesta semana.

A Secretaria de Planejamento através do secretário Deivid Argenta e do engenheiro Rogério Pergher apresentou ao público as ações que podem ser realizadas em cada casa para melhor a utilização da água como por exemplo captação da água da chuva e tratamento individual do esgoto.

A secretaria de Desenvolvimento Rural, através do diretor Rogir Centa explanou sobre a proteção nas nascentes que está realizando no interior. Quatro propriedades já foram contempladas e a pasta busca a realização de outras oito.

A CORSAN fez-se presentes através do Diretor de Operações da Companhia de Saneamento, Eduardo Carvalho, do superintendente de Tratamento, Ivan Lautert e do Thiago Prestes do Departamento de Esgoto.

A Companhia de Saneamento do Estado dentro de sua apresentação, esclareceu casos que vieram ocorrendo em Farroupilha quanto a qualidade da água, como por exemplo o surgimento de determinadas algas na barragem da Julieta que ocasionaram, por um período, o odor parecido ao de peixe na água dos munícipes. Segundo Lautert, esse caso foi resolvido com agilidade e estas algas não produzem malefícios à saúde.

O superintendente apresentou ainda laudos técnicos realizados semestralmente pelos laboratórios da Companhia e por outros subcontratados atestando a potabilidade da água da Corsan, e reiterou que sempre que houver índices de elementos superiores aos permitidos, o caso é informado às Vigilâncias Sanitárias do Estado e do Município.

Cogitada a intenção do município em criar um Fundo Compartilhado da Água. O diretor Eduardo Carvalho apontou como positiva e viável a ideia. Caso esse fundo ocorra, Farroupilha poderá assegurar cerca de R$1 milhão de reais por ano para investimentos na água.

Fotos: Gabriel Venzon | Fonte: Câmara de vereadores de Farroupilha

Publicidade