Publicidade

Ana Luiza Felicetti Graff encanta com sua espontaneidade e alegria

    Não se encantar com a Ana Luiza é missão impossível. A menina de apenas dois anos, delicada e expressiva, senta em um banquinho colorido, agarra o livro “Os Três Porquinhos” e desata a contar a fábula aos seus coleguinhas curiosos. A cena que arrebata qualquer coração se passa na Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) dos Anjos do bairro São Roque. Todos os dias, um dos pequenos alunos do Maternal I é o responsável pelo momento.

    Conforme a professora da turma, Andreia Gonçalves dos Reis, as histórias infantis são usadas como ferramentas na formação da identidade e dos valores de cada criança, além de ajudar a desenvolver o imaginário cognitivo e a inteligência emocional dos pequenos. “A partir desse contexto, achamos significativo a história ser contada por eles e ressaltamos o sentido que cada uma nos traz”, diz Andreia.

     Enquanto isso na EMEI dos Anjos Pio X, os pequenos de dois a três anos de idade aprendem a importância da higiene pessoal. Sabe como? Na sala temática “Faz de Conta”, eles encenam um banho gostoso, com direito a desodorante no final. Na sala ao lado os menores desenvolvem a coordenação motora fazendo suas primeiras obras de arte com têmpera. Na EMEI do bairro São José, o Dia das Mães serviu de inspiração para estimular a criatividade dos alunos, que com suas mãozinhas produziram lindas dobraduras.

     De forma lúdica, sempre estimulando as descobertas, a curiosidade e as capacidades motoras e cognitivas, o tema escolhido na EMEI do Centro nesse semestre foi a Turma da Mônica. “Podemos conversar com eles sobre diversos aspectos através dos personagens. O Cascão remete a higiene, a Magali à alimentação e assim por diante. Para que as crianças encantem-se ainda mais, decoramos toda a escola com os personagens e suas características, tornando o ambiente mais alegre e feliz”, conta a diretora Isabel Haefliger.

 Além de desenvolverem suas habilidades de forma integral através das inúmeras atividades, é nas escolinhas que as crianças tomam café da manhã, lancham, almoçam e fazem a pré-janta. A Secretaria de Educação fornece de cinco a seis refeições diárias para as crianças, todas elaboradas pela equipe de nutrição da Secretaria. Entre os itens que dão energia para as crianças estão itens como aipim, banana, maçã, kiwi, brócolis, alface, lentilha, ervilha, gelatina, suco de uva integral, carne bovina, ovos, iogurte, entre muitos outros, que garantem o equilíbrio entre carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais.

Dois anos de funcionamento e muitos motivos pra comemorar

 

    Atividades como essa são recorrentes nas cinco EMEIs dos Anjos de Farroupilha, que em 2018 completam dois anos de funcionamento. Quatro delas – nos bairros São Roque, Centro, São José e Industrial – já existiam, mas em fevereiro de 2016 passaram a integrar a rede municipal de ensino. A partir da mudança, essas escolas passaram a receber toda a atenção necessária da Secretaria de Educação, para que os pequenos pudessem continuar em ambientes de muito aprendizado e afeto.  

        No mesmo ano, no mês de abril, foi inaugurada pelo poder público a Escola dos Anjos Pio X. Diferente das demais, ela é organizada em salas com os temas Música, Faz de Conta, Movimento, Jogos e Artes. O objetivo é possibilitar aos alunos a interação com diferentes espaços e materiais para que construam conhecimentos em diferentes experiências, privilegiando a autonomia, a interação e a brincadeira como ferramentas de aprendizagem. “Tudo foi feito pensado com muito cuidado e carinho. Os planos e projetos que desenvolvidos facilitam o ensino, promovendo diversos conceitos de grandes pensadores que fazem a educação, as técnicas aplicadas tem o objetivo da educação da emoção, da autoestima, da autonomia, da segurança, do raciocínio, da solidariedade, da identidade, do múltiplo e do prazer, essenciais na educação infantil”, destaca a Secretária Elaine Giuliato.

     Para o Prefeito Claiton Gonçalves, o planejamento estrutural do local permitir o avanço das múltiplas inteligências. “Esse projeto tem paredes baixas, amplitude, setores temáticos, permitindo que as crianças interajam de alguma fora o tempo todo como se fosse uma única família, e são, e esse é o conceito para transformar e de permitir de forma intensa o desenvolvimento das inteligências individuais. Essa é uma escola para pensar e não para copiar, não para decorar”, diz.

     As cinco EMEIS atendem atualmente 375 crianças. Em todas elas, as equipes de profissionais são compostas por professoras e auxiliares de educação infantil, com formação pedagógica, além de cozinheiras, auxiliares de cozinha e de limpeza.

Investimento na formação dos professores

 

    Para que professores e auxiliares das Escolas dos Anjos estejam cada vez mais capacitados, a Secretaria de Educação promove formação periódica, trabalhando em temáticas sobre o desenvolvimento infantil e a estimulação para as diferentes idades. Os encontros – além que também são oportunidades de acompanhamento do trabalho realizado em cada escolinha – são realizados sempre aos sábados, a fim de não comprometer o atendimento às crianças.

    Mensalmente ainda os professores são divididos por níveis de trabalho (Berçário I; Berçário II; Maternal I e Maternal II) e reúnem-se com a equipe pedagógica da Secretaria para estudar estratégias de trabalho e o planejamento para cada turma.

Revisão dos Projetos Político Pedagógico (PPP)

    Cada escola possui autonomia para elaborar seu projeto didático no ano letivo, sempre levando em conta atividades que estimulem a curiosidade e as aprendizagens das crianças. No entanto, para que todas as escolas da rede municipal de ensino estejam cada vez mais alinhadas e qualificadas, a Secretaria de Educação está revisando os Projetos Político Pedagógicos das escolas. O chamado PPP é o documento que norteia todas as ações da instituição e deve ser construído e revisado regularmente com a participação de toda a comunidade escolar.

    Nas últimas semanas, todos os pais estão recebendo um questionário para apurar de que forma a família vê a sociedade e a escola, o que pode ser melhorado e o que a família pode fazer algo para a escola ser melhor. Um dos estudos do PPP é expandir a proposta de organização da EMEI dos Anjos Pio X para as demais EMEIs da rede municipal.

 “A reconstrução dos PPPs exige inúmeras discussões e estudos acerca da organização de cada escola com vistas àquilo que se deseja para os próximos anos. Ter professores, funcionários e pais presentes nas discussões garante uma gestão democrática, a fim de qualificar o trabalho das escolas e consequentemente garantir o desenvolvimento integral das crianças”, explica Janete Facini Alves, da Coordenação do Departamento Pedagógico da Secretaria de Educação.

Fotos: Adroir da Silva | Fonte: Assessoria de Imprensa e Comunicação Social da Prefeitura de Farroupilha