Publicidade

Os cinco profissionais atuarão na UBS São José e CAPS I

Farroupilha recebeu na manhã desta segunda-feira, 12, quatro dos cinco profissionais da Residência Médica e Residência Integrada em Saúde. A recepção ocorreu no Salão Nobre pelo prefeito Claiton Gonçalves, Secretária de Saúde, Rosane da Rosa, e demais integrantes da secretaria, Associação Farroupilhense Pró-Saúde e comunidade do bairro São José. Além dos profissionais residentes, participaram das atividades integrantes da Escola Pública de Saúde do RS e da 5ª Coordenadoria Regional de Saúde.

Na área de Atenção Básica, quatro profissionais de Enfermagem, Fisioterapia, Psicologia e Medicina de Família e Comunidade atuarão na Unidade Básica de Saúde do bairro São José. Já para a na área de Saúde Mental Coletiva, um profissional de psicologia vai atuar no CAPS I. Isso se deve ao convênio firmado entre Prefeitura de Farroupilha com a Escola de Saúde Pública do Rio Grande do Sul (ESP/RS).

O Dr. Daniel do Nascimento Antônio, que já atua na UBS São José, agora fará a Residência Médica para Medicina de Família e Comunidade. Para a Residência Integrada em Saúde, a enfermeira Natália Brustolin, as psicólogas Vanessa Crestani e Agnes Vieira, e o fisioterapeuta André Borges da Rosa atuarão na Atenção Básica e Saúde Mental Coletiva.

 

A Secretária Rosane da Rosa ressaltou a importância deste ato. “É um dia importante para todos nós, estamos dando o primeiro passo da residência médica e profissional aqui em Farroupilha. Foi um pedido do Prefeito Claiton trazer a residência pra cá e não medimos esforços para isso acontecer. Que os profissionais tenham uma ótima caminhada aqui em Farroupilha e que permaneçam conosco ao término da residência. “

 

O Diretor Geral da Associação Farroupilhense Pró-Saúde, Márcio Gulden, destacou a qualificação nos serviços prestados. “Esse é um momento muito especial para nós do Pró-Saúde, um passo importante na qualificação da saúde básica, a proximidade da comunidade com a academia. O desafio do poder público é acreditar nas pessoas e estimular que a gente possa ter uma sociedade melhor, que a gente possa evoluir nos diferentes serviços, qualificando de forma permanente.”

 

Para a Diretora da Escola de Saúde Pública do RS, Terezinha Valduga Cardoso, a residência visa a qualificação dos profissionais. “O objetivo da escola é a formação e qualificação dos profissionais e prepará-los para as necessidades do mercado e do nosso Sistema Único de Saúde, garantir a qualificação dos profissionais para desenvolver suas atividades junto à comunidade. E todos nós queremos uma assistência à saúde de qualidade e segura e é esse o grande objetivo da escola. Agradeço aos gestores que nos procuraram e Farroupilha é mais um município que a escola está presente. Agradeço e parabenizo a iniciativa do prefeito Claiton e da secretária Rosane.”

 

A Coordenadora da Residência Integrada em Saúde, Maria Antônia Heck, agradece a acolhida no munícipio. “Estou muito feliz em trazer a Residência Integrada em Saúde para Farroupilha. Que esse programa consiga se desenvolver com os residentes fazendo de fato a diferença no SUS em Farroupilha. Agradeço essa acolhida que o município está dando desde a primeira reunião. Foi um trabalho construído no passo a passo. Os residentes encontrarão neste município espaços muito bons para fazer o percurso formativo, tanto de primeiro como no segundo ano de residência.”

 

Tatiane Zarpelon Misturini Fiorio, Coordenadora Adjunta da 5º Coordenadoria Regional de Saúde, enaltece a inciativa. “Parabenizo a cidade e a Administração Pública por essa iniciativa e caminhada para consolidar esse trabalho. A formação profissional em saúde está muito concentrada na parte teórica, por isso essa vivência na saúde das comunidades é tão importante.”

 

Por fim, o Prefeito Claiton Gonçalves destacou o orgulho de dar início a esse trabalho de formação em saúde pública na cidade. “Estou feliz de receber a todos. Venho de uma escola onde a formação era muito forte em atendimento comunitário. O médico comunitário visita as pessoas em casa, bate a porta, lança um olhar do paciente sob a sua realidade. É uma visão holística do ser humano que é incomparável com qualquer formação. Estar na casa das pessoas, entender suas angústias e sua realidade às vezes ajuda mais do que um curativo. Me orgulha de ter em Farroupilha uma escola de formação integrada em saúde pública. Vocês estão construindo uma história de cidadania nessa cidade.”

 

E em nome de todos os residentes, a enfermeira Natália Brustolin falou sobre esse importante momento na vida dos profissionais. “E lá está o SUS, o Sistema Único de Saúde. Procura-se afirmar dia após dia como único, e ao mesmo tempo é a única opção. Das diversas realidades que se vive no Brasil, há uma que defende o SUS, e é aquela em que a única opção é a opção de melhor qualidade. Esse é o momento para apensar a saúde e vivê-la como única opção. Para isso é preciso inquietar a alma, problematizar os dias, é preciso questionar o ofício, romper os vícios. Por que pensar que o sistema de saúde é tão perturbante? Agora é o momento de termos as respostas e agir. O sofrimento do outro é sofrimento de uma sociedade, de uma coletividade, onde a saúde do outro faz parte da saúde coletiva, quando todos os problemas de saúde são de todos, como a saúde são de todos, como o direito é de todos.”

O fisioterapeuta André Borges da Rosa, a enfermeira Natália Brustolin, a psicóloga Vanessa Crestani e o Dr. Daniel do Nascimento Antônio foram recepcionados na manhã desta segunda-feira. A psicóloga Agnes Vieira estará na cidade nos próximos dias.
 
 

Antes da recepção aos residentes, a Secretaria de Saúde participou de dois encontros em Porto Alegre durante as atividades de acolhimento dos profissionais: dia 02 de março aconteceu a Aula Magna, que marcou o início das atividades, no Centro Administrativo Fernando Ferrari, e no dia 08 de março, a estrutura de saúde de Farroupilha foi apresentada a todos os residentes do programa, no auditório da Escola de Saúde Pública.  Além disso, aqui em Farroupilha, o Programa de Residência Integrada em Saúde foi apresentado às lideranças comunitária e moradores do bairro São José.

O Programa de Residência Integrada em Saúde foi apresentado na quarta-feira, 07, aos moradores do bairro São José.
 

 

UBS São José

A Unidade de Saúde da Família do Bairro José atende a comunidade ligada a esta área, com um total de 988 famílias cadastradas (aproximadamente 3.601 pessoas). Conta com uma ESF (Estratégia de Saúde da Família), dividida em seis micro áreas. A equipe é composta por três agentes comunitárias de saúde, uma enfermeira, três técnicos de enfermagem, um médico da família, uma atendente e uma higienizadora. O atendimento do médico de saúde da família é diário e tem ainda o apoio de outros profissionais como clínico geral, ginecologista e pediatra em dias alternados, além da odontologia. Além do atendimento interno, são realizam visitas a domicílio uma vez por semana para acamados e pessoas com dificuldade de locomoção.

A equipe de ESF possui também apoio do NASF (Núcleo de Atenção à Saúde da Família) para as atividades de promoção e prevenção à saúde, que desenvolve uma série de grupos: Gestantes, Caminhada, Reeducação Postural, Hiperdia (hipertensão e diabetes), Grupo de Adolescentes, Reeducação Alimentar e Manutenção Alimentar, Grupo de Idosos, Artesanato, Oficina Brincar (crianças), Apoio Psicológico Adulto.

Saúde da família

A saúde da família está no primeiro nível de atenção no Sistema Único de Saúde (SUS) e é considerada uma estratégia primordial para a organização e o fortalecimento da atenção básica. A partir do acompanhamento de um número definido de famílias, localizadas em uma área geográfica delimitada, são desenvolvidas ações de promoção da saúde, prevenção, recuperação, reabilitação de doenças e agravos mais frequentes.

Para efetivar essas ações, é necessário o trabalho de equipes multiprofissionais em unidades básicas de saúde, formadas por: médico, fisioterapeuta, enfermeiro, auxiliares de enfermagem, agentes comunitários de saúde, cirurgião-dentista, auxiliar de consultório dentário ou técnico de higiene dental.

As equipes de saúde da família estabelecem vínculo com a população, possibilitando o compromisso e a co-responsabilidade dos profissionais com os usuários e a comunidade, com o desafio de ampliar as fronteiras de atuação e resolubilidade da atenção. Além disso, tem como estratégia de trabalho: conhecer a realidade das famílias pelas quais é responsável, por meio de cadastramento e diagnóstico de suas características sociais, demográficas e epidemiológicas; identificar os principais problemas de saúde e situações de risco às quais a população que ela atende está exposta; e prestar assistência integral, organizando o fluxo de encaminhamento para os demais níveis de atendimento, quando se fizer necessário.

Escola de Saúde Pública

A Escola de Saúde Pública (ESP/RS) é um Centro de Educação e Pesquisa em Saúde da Secretaria Estadual da Saúde que tem por missão a gestão da educação em Saúde Coletiva no Estado, desenvolvendo ações de formação, educação permanente, pesquisa, extensão e produção de conhecimentos, que contribuam para o fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS) e para a promoção da saúde e da qualidade de vida da população gaúcha.

Residência Integrada em Saúde

A coordenação da Residência Integrada em Saúde é responsável pelo planejamento, acompanhamento e coordenação do Programa de educação em ambiente de serviço, sob a forma de Residência Integrada em Saúde (RIS), que envolve as Residências Médica e Multiprofissional em Saúde, mantida no âmbito da ESP/RS e das instituições vinculadas à administração estadual e municípios parceiros. Entre suas principais atribuições estão o estabelecimento do currículo em consonância com a legislação, com a especificidade de cada ênfase, com as políticas de saúde e educação vigentes; a organização do calendário letivo; a articulação e interlocução com os municípios e instituições onde a residência está ou venha a estar inserida; o gerenciamento das vagas a serem ofertadas em cada Programa de Residência, de acordo com as necessidades do SUS e condições dos campos de práticas; o desenvolvimento de estratégias para promover a qualificação e educação permanente de preceptores e tutores nas áreas de ensino e pesquisa, bem como a execução de outras atividades correlatas ou que lhe venham a ser atribuídas.

Fotos: Adroir da Silva | Fonte: Assessoria de Imprensa e Comunicação Social da Prefeitura de Farroupilha

Publicidade